Desenvolvimento

Em nosso rebanho, sob exploração leiteira, observamos um ganho médio de peso entre 420 e 460g nas fêmeas desde o nascimento até os 36 meses de idade, e de 450 a 500g nos macho. Assim, uma fêmea adulta atinge cerca de 500 a 700Kg (até 900 Kg) e um macho, de 800 a 1.000 Kg (raça Murrah).

De uma maneira geral, os animais são conduzidos para o abate com cerca de 450 a 540Kg, com a idade de 30 a 36 meses nos rebanhos sob exploração leiteira, e com 24 a 30 meses nos dedicados à exploração de corte e manejados sob regime extensivo.

.

.

A desmama ocorre entre 8 e 10 meses de idade, com os animais pesando cerca de 180 a 200Kg em rebanhos sob exploração leiteira e de 240 a 260Kg em criações exclusivamente para corte, variando bastante estes valores de acordo com as condições de ambiente e manejo do criatório. Apesar do menor desenvolvimento durante o período de lactação, observa-se porém que , após a desmama, os animais provenientes de rebanhos sob exploração leiteira, quando submetidos a um regime de confinamento ou com boa oferta de alimentos, apresentam significativo ganho de peso compensatório, com ganhos médios diários de cerca de 1.000 g/d.

.

Animais da Faz. Paineiras da Ingaí em provas oficiais de ganho de peso

Ano

Local

Nº Animais

Ganho Diário

1980

IZ Sertãozinho

3

1.125 g/d

1981

IZ Sertãozinho

4

1.103 g/d

1983

Araçatuba

5

986 g/d

1984

IZ Sertãozinho

4

944 g/d

1988

IZ Sertãozinho

5

945 g/d

Média Geral

21

1.010 g/d

 

Com relação ao rendimento de carcaça, observa-se de 48 a 49% aos 18 meses, 49 a 50% aos 24 meses e de 50 a 51% aos 30 meses, sendo o aumento de rendimento resultado da redução do peso relativo do couro (dados de um rebanho da raça Jafarabadi, variedade “Gir”). Apesar de qualidade superior, no Brasil, onde os bovinos são normalmente abatidos com idades superiores, a carcaça é cotada aos mesmos níveis que de bovinos, visto não ser adotada a tipificação da mesma na remuneração ao produtor. O couro, apesar de sua excelente qualidade, apresenta ainda alguma dificuldade de comercialização dada sua relativamente baixa escala de produção. Já existem porém alguns cortumes que vem se especializando no processamento de couros de búfalos, cuja aplicação vem se ampliando.

A respeito da qualidade da carne, a mesma apresenta algumas peculiaridades tais como um menor teor de gorduras, particularmente o colesterol. Sua gordura é mais clara e as fibras pouco maiores. No que se refere ao sabor e textura, são pouco distinguíveis da carne bovina.

 

 

Com relação à carne bovina, a carne de búfalos apresenta a seguinte composição:

Composição da CARNE

BÚFALOS

BOVINOS

Calorias (kcal)

131,00

289,00

Proteínas (Nx6,25)

26,83

24,07

Ac. Graxos saturados (g)

0,60

8,13

Ac.Graxos Monosaturados

0,53

9.06

Ac.Graxos Poliinsaturados

0,36

0,77

Colesterol Total (mg)

61,00

90,00

Minerais Total (mg)

641,80

583,70

Vitaminas Total (mg)

20,95

18,52

Fonte: Universidade da Flórida-Gainsville

 

Outra tabela comparativa é fornecida pelo Depto de Agricultura dos Estados Unidos(USDA), que compara a carne cozida de búfalos com outras espécies animais.

Composição em 100g de carne cozida

Búfalo

Bovino

Frango branco s/pele

Frango caipira s/pele

Calorias 

kcal

131.00

289.00

173.00

205.00

Proteínas

g

26.83

24.07

30.91

27.37

Gorduras

g

1.80

20.69

4.51

9.73

AG Saturados

g

0.60

8.13

1.27

2.66

Monoinsaturados

g

0.53

9.06

1.54

3.56

Poliinsaturados

g

0.36

0.77

0.98

2.26

Colesterol

mg

61.00

90.00

85.00

93.00

Minerais
Cálcio

mg

15.00

11.00

15.00

15.00

Ferro

mg

2.12

2.44

1.06

1.33

Potássio

mg

313.00

292.00

247.00

240.00

Sódio

mg

56.00

83.00

77.00

93.00

Vitaminas
Tiamina

mg

3.03

0.03

0.07

0.07

Riboflavina

mg

0.25

0.19

0.12

0.23

Niacina

mg

6.29

5.77

12.42

6.55

Vit. B6

mg

0.46

0.27

0.60

0.36

Vit. B12

mcg

1.75

2.93

0.34

0.32

 

A mortalidade de bezerros no primeiro ano de vida situa-se entre 3 e 6%, ocorrendo em nosso meio 2/3 nos primeiros 3 meses e são devidas principalmente a causas acidentais e doenças infecciosas (parasitárias).

 

De 1 a 2 anos de idade, a mortalidade fica em torno de 3 a 4% e após, entre 1 e 3%, relacionadas principalmente a acidentes e patologias infecciosas.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *